Sujeira nos pratos (poem)
by Leo Barth and Wellington Amancio da Silva

 

Leo Barth – Poema
Wellington Amancio da Silva — Imagens

Sujeira nos pratos
Ultrapassando o caos
O caos costumeiro já era normal
Ela gritava extasiada
Nem lembrava de si mesma
Abandonada na cama
Restos de pedaços de fome
Fome de mundo fome do mundo
Fome com e junto ao mundo
Pelas pernas

Pelo centro das suas pernas
Cansadas

Riso e choro e choro e riso
Seu divino mantra seu imundo mantra
E o amor era cruel
O amor era cruel
O amor era cruel

Print Friendly, PDF & Email
Please follow and like us: